Por que aparecem muitos animais na literatura infantil?

Imagem com 8 animais na literatura infantil.

Com certeza, você já deve ter se perguntado o motivo de ser tão comum usar animais na literatura infantil, certo? Neste artigo, vamos apresentar algumas teorias que podem esclarecer a questão. Adiantamos que, devido à sua natureza (e fofura), os encantadores bichinhos têm alto poder de chamar a atenção das crianças e desenvolver uma conexão com elas. Podemos dizer que esse é um dos fatos mágicos proporcionados pela leitura. Abaixo, explicamos tudo sobre o assunto. Acompanhe!

Animais na literatura infantil

Em primeiro lugar, é importante você saber que não há um consenso sobre a preferência de animais na literatura infantil. É provável que o hábito tenha se tornado uma tradição reforçada, principalmente pela Disney. A companhia sempre teve o hábito de inserir os bichinhos em seu “elenco”, apresentando-os de maneira bastante lúdica. Aposto que você já se emocionou com O Cão e a Raposa (1981) ou achou curioso o fato de o Mickey (o ratinho mais famoso da história) ter um cachorrinho de estimação, o Pluto.

Existe uma palavrinha que resume bem a tendência humana de, desde tempos muito antigos, atribuir características das pessoas a outros seres e objetos. Chama-se: antropomorfismo. Toda a mitologia grega, por exemplo, é baseada na aplicação desse conceito. 

Em outras palavras, conseguimos compreender melhor, nos conectar mais e estabelecer a empatia com o que faz parte da nossa própria realidade. A representação de animais com sentimentos é perfeito para cativar os pequenos. Portanto, a dimensão ficcional espelha a do mundo real, com toques fantásticos. 

A personalidade dos bichinhos

O uso de animais tende a prender a atenção da criança. Eles têm características próprias, a serem exploradas no enredo, emitem sons específicos (presentes em músicas e brincadeiras divertidas), além de estarem em nosso cotidiano, trazendo maior familiaridade. Os personagens podem ganhar vida no cachorro de estimação em casa, no gato da vizinha, no peixinho do primo, no papagaio da amiga, no leão que aparece na música ou no uso que apareceu na TV.

Há quem diga que os animais foram usados para diferenciar histórias para crianças das voltadas aos adultos. As últimas, usavam apenas personagens humanos complexos. Seja como for, a variedade da fauna é imensa e enriquece a narrativa. Existem infinitas espécies de bichinhos, com características tão diferentes que faltam livros para contemplá-las. 

Animais na Aletria

Aqui, na Aletria, temos vários protagonistas que vão te encantar. Conheça alguns:

Facilidade na abordagem de temas delicados

Além disso, ao se depararem com o cenário fantástico, as crianças conseguem absorver temas complexos de uma maneira leve. Pode-se falar da morte, da solidão, do medo ou do bullying, usando os traços dos animais. Dá para explorar um rabo diferentão ou as orelhas fora do padrão, por exemplo.

Outra vantagem de usar animais na literatura infantil é que os autores encontram facilidade de apresentar atitudes condenáveis se fossem feitas pelo humano. Tudo bem um lobo ser “mau” porque isso faz parte da natureza dele. Existe, no senso comum, comportamentos típicos de cada bicho que são esperados nas narrativas. O tubarão e o leão são caçadores natos. A cobra é venenosa. Devido à sua natureza observadora, a coruja é associada à sabedoria. Não há tanta volatilidade nas relações sociais como acontece com as pessoas. 

Sobram teorias sobre o motivo de aparecer tantos animais na literatura infantil. Eles povoam o imaginário infantil logo nos primeiros dias de vida. Livros, cantigas, bichinhos de estimação, fábulas, brincadeiras com os sons de cada um… Não faltam referências no dia a dia dos pequenos. As crianças amam encontrar e aprender com eles nas histórias, criando conexões que auxiliam no desenvolvimento. Conheça os bichinhos protagonistas em nossos livros premiados!